ABM - Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração

Estamos em home office. O suporte pelo tel (11) 5534-4333 estará indisponível nesse período.

Faturamento do setor da mineração cresce 36% em 2020

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Mineração, valorização do dólar no ano passado fez a indústria faturar R$ 209 bilhões.

A indústria de mineração brasileira faturou R$ 209 bilhões em 2020, um aumento de 36% em relação a 2019, quando o setor registrou um faturamento de R$ 153 bilhões, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram). No período, foram comercializadas 985 milhões de toneladas de minérios, uma variação de 2,5% em relação a 2019. Para o Ibram, a variação cambial e a valorização dos preços internacionais de minérios foram fortes influenciadores do desempenho do comércio exterior do setor mineral

O minério de ferro contribuiu com 66% do faturamento total do setor e o ouro com 11%, sendo que a substância mineral apresentou elevação (em %) no faturamento na comparação entre 2020 e 2019: 76%, passando de R$ 13 bilhões para R$ 23 bilhões, devido à elevação do preço da commodity e ao aumento de produção estimulada pela elevação da demanda.

Vem em seguida  minério de ferro com 39% de crescimento anual, indo de quase R$ 100 bilhões a cerca de R$ 139 bilhões. O cobre registrou elevação de 35%, passando de R$ 10 bilhões a quase R$ 14 bilhões. O granito observou elevação de 25% no faturamento, indo de R$ 2,5 bilhões a mais de R$ 3 bilhões. O faturamento da produção de calcário dolomítico cresceu 12%, passando de R$ 3,7 bilhões para R$ 4,2 bilhões. O da bauxita evoluiu 6%, de R$ 4,2 bilhões para R$ 4,5 bilhões.

Exportações 

Na comparação anual, as exportações de minérios foram quase 11% maiores em 2020, em dólar, do que em 2019: de US$ 33 bilhões para quase US$ 37 bilhões. Em toneladas houve acréscimo de 2,4% na exportação de minérios de 2019 para 2020: de 362 milhões de toneladas para 371 milhões de toneladas.

Em 2020 as exportações de minério de ferro foram 16% superiores, em dólar, ao total de 2019 (cerca de US$26 bilhões ante cerca de US$ 22 bilhões), e praticamente estáveis em volume: apenas 0,3% de crescimento, passando de 340,5 milhões de toneladas para 341,6 milhões de toneladas.

Em 2020 as exportações de ouro cresceram 36% em comparação com 2019: US$ 3,6 bilhões para quase US$ 5 bilhões. Em volume houve crescimento de quase 8%, de 92 toneladas para 99 toneladas em 2020.

Importações 

Na comparação entre 2020 e 2019, as importações caíram 50%, de US$ 8 bilhões em 2019 para US$ 4 bilhões em 2020. Houve queda também em volume importado: de 41 milhões de toneladas em 2019 para 28,5 milhões de toneladas em 2020.

Investimentos

O ano de 2020 começou com previsão de investimentos de US$ 34,5 bilhões para o período 2020-2024. No 2º trimestre o valor previsto foi elevado para mais de US$ 37 bilhões e desde o 3º trimestre o valor previsto de investimentos para 2020-2024 foi elevado em cerca de US$ 1 bilhão, totalizando agora US$ 38 bilhões (dados atualizados pelo IBRAM em dezembro de 2020). Foram constatados, recentemente, novos projetos para substâncias como manganês e minério de ferro.

No 3º trimestre de 2020 a previsão era que Minas Gerais seria o destino de US$ 12,5 bilhões. Agora o valor aumentou para R$ 13,2 bilhões (35% do total). A Bahia receberá US$ 10,5 bilhões (28%). A previsão para o Pará aumentou em cerca de US$ 200 milhões desde então, passando de US$ 8,6 bilhões para US$ 8,8 bilhões (23%). Os outros estados têm previstos investimentos da ordem de US$ 5,5 bilhões (14%).

Os maiores aportes serão para mineração de ferro: US$ 15,5 bilhões ou quase 41%; bauxita: 21,5%; fertilizantes: cerca de 17%. Cabe destacar a parcela, que deve aumentar ainda mais, em relação aos investimentos previstos para o descomissionamento de barragens a montante e soluções tecnológicas para disposição a seco de rejeitos. Até o momento, os valores previstos são da ordem de US$ 2,2 bilhões para este fim – já incluídos nos US$ 38 bilhões informados para os investimentos totais do setor.

Empregos

De janeiro a setembro de 2020, o setor contratou cerca de 5 mil trabalhadores. Esse número é bastante representativo, uma vez que a indústria possui fator multiplicador de 1:11. Em setembro o setor empregava diretamente mais de 180 mil trabalhadores diretamente.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Ibram

 

Deixe seu comentário

Assine a newsletter

e fique por dentro de tudo sobre Metalurgia, Materiais e Mineração.