ABM - Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração

Primetals implantará linha de produção de tira contínua para siderúrgica chinesa

Planta de lingotamento e laminação produzirá tira ultrafina de alta qualidade visando entrar em novos segmentos de mercado.

A siderúrgica chinesa Henan Yaxin Steel Group Co., Ltd. (Henan Yaxin) colocou junto à Primetals Technologies um pedido para o fornecimento de uma linha Arvedi ESP (Produção de Tira Contínua). A planta de lingotamento e laminação fará parte de uma nova usina atualmente em construção na cidade de Fuding, Província de Fujian. O aço líquido será produzido em dois fornos elétricos a arco Quantum adquiridos da Primetals Technologies anteriormente este ano.

A linha Arvedi ESP terá uma capacidade nominal de 1,6 milhões de toneladas por ano, com potencial para chegar a 2,5 milhões de toneladas por ano em um estágio posterior. Será possível laminar tiras com espessura de até 0,8 mm. Isto permitirá que a Henan Yaxin produza tiras ultrafinas de alta qualidade para entrar em novos segmentos de
mercado. Quando comparado com processos convencionais de lingotamento e laminação, o consumo de energia e custos correlatos serão reduzidos em até 45%. Além disso, será obtida uma significativa redução nas emissões de CO2 e NOx, minimizando assim o impacto ambiental. Esta é a primeira minimill ambientalmente amigável em todo o mundo em que os processos EAF Quantum e Arvedi ESP são combinados. A planta deverá entrar em operação em 2020.

A Henan Yaxin é uma siderúrgica privada que opera aciarias integradas e compactas em cinco províncias e cidades na China, produzindo mais de 10 milhões de toneladas métricas por ano. A planta Arvedi ESP permitirá que a Henan Yaxin forneça tiras finas de alta qualidade para mercados de exportação e locais altamente atrativos. Com um comprimento de 180 metros, esta planta é muito mais compacta do que as plantas de lingotamento e laminação convencionais. A nova planta será projetada para uma capacidade de produção anual de 2,5 milhões de toneladas de tiras laminadas a quente
ultrafinas de alta qualidade, com larguras de até 1.600 mm e espessuras de até 0,8 mm. Serão produzidos aços carbono, aços HSLA (baixa liga de alta resistência) e aços dual-phase. A Primetals Technologies será responsável pela engenharia da planta Arvedi ESP e fornecerá osequipamentos mecânicos, os sistemas de controle de utilidades, pacotes tecnológicos e sistemas de automação. Toda a linha será controlada por meio de sistemas de automação básica (nível 1) e de automação de processo (nível 2) totalmente integrados, que abrangerão todas as operações de
lingotamento e laminação.

O processo Arvedi ESP produz bobinas a quente diretamente a partir do aço líquido em um processo de produção contínuo e ininterrupto em uma planta que combina lingotamento e laminação. A linha começa com o lingotamento de um veio fino de aço que é subsequentemente laminado a uma espessuraintermediária de 8 a 20 mm em um laminador de 3 cadeiras de alta redução posicionado no final da máquina de lingotamento contínuo. Após aquecimento em um aquecedor de indução, a laminação da barra de transferência até a espessura final objetivada é feita em um laminador de acabamento de 5 cadeiras, seguida de resfriamento laminar da tira.

Em seguida, a tira é cortada por meio de uma tesourade alta velocidade imediatamente antes do bobinamento em bobinas de até 32 toneladas. As plantas Arvedi ESP permitem a produção flexível de toda a gama de qualidades de aço.Devido ao modo de produção contínua de tiras das linhas Arvedi ESP, não são necessários passes repetidos nas cadeiras de laminação individuais. Este é o conceito para a produção de tiras ultrafinas,com espessuras de até 0,8 mm. As tolerâncias de geometria de tira são estritamente observadas ao longo de todo o comprimento do produto laminado. A produção contínua é também um aspecto decisivopara se assegurar a homogeneidade da microestrutura, tamanho de grão, limite de elasticidade e resistência à tração do aço.

Uma vez que a tira permanece continuamente sob tensão, a taxa de sucateamento é inferior a 0,1%, mesmo quando mais de 50% da produção tem espessura inferior a 1,2 mm. São obtidos rendimentos acima de 98% uma vez que não é necessário realizar o desponte da tira.

Deixe seu comentário

Assine a newsletter

e fique por dentro de tudo sobre Metalurgia, Materiais e Mineração.

Publicações