Alterar idioma  
ABM - Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração

Gerdau fecha o 2º trimestre com lucro de R$ 746 milhões

Resultado foi 13% superior ao mesmo período do ano passado.

A melhoria dos mercados de atuação da Gerdau, principalmente Brasil e Estados Unidos, somada à variação cambial da moeda brasileira, ampliou sua receita líquida consolidada para R$ 12 bilhões no segundo trimestre de 2018, 31% de crescimento sobre o mesmo período do ano anterior. As vendas físicas, por sua vez, chegaram a 3,8 milhões de toneladas, uma evolução de 3% perante os meses de abril a junho de 2017, ao passo que a produção de aço apresentou redução de 2%, para 4 milhões de toneladas.

A geração de caixa operacional (EBITDA) chegou a R$ 1,8 bilhão no segundo trimestre, alcançando seu melhor desempenho trimestral dos últimos dez anos. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o EBITDA apresentou evolução de 57%. Esse bom desempenho também está ligado aos esforços internos de gestão da Gerdau, que, por exemplo, fizeram com que as despesas com vendas, gerais e  administrativas (SG&A) chegassem ao seu melhor nível histórico.

No segundo trimestre, as despesas com vendas, gerais e administrativas alcançaram 3,6% da receita líquida. Já o lucro líquido ajustado, excluindo principalmente os efeitos não-recorrentes pela venda da operação no Chile, passou de R$ 147 milhões no segundo trimestre de 2017 para R$ 746 milhões no segundo trimestre de 2018. 

“Fechamos o trimestre com um dos melhores resultados dos últimos anos, o que reforça nossa confiança que estamos no caminho certo, na busca por maior rentabilidade e retorno para nossos acionistas. Um dos destaques no período foi o bom desempenho de nossa operação na América do Norte, voltada para a produção de aços longos, cujo EBITDA foi o melhor desempenho trimestral desde 2008. Em nível global, nossas margens evoluíram e conseguimos capturar oportunidades de mercado. Também mantivemos os indicadores de endividamento estáveis, com tendência à redução neste ano à medida que houver a conclusão do processo de venda das unidades de vergalhão nos Estados Unidos anunciado em janeiro deste ano. Ao longo dos próximos trimestres, seguiremos buscando oportunidades de melhoria de desempenho, assim como daremos continuidade ao trabalho de inovação digital junto aos nossos clientes, contribuindo para o crescimento de seus negócios”, afirma o Diretor-Presidente (CEO) da Gerdau, Gustavo Werneck.

Ao longo dos seis primeiros meses deste ano, a receita líquida cresceu 27% em relação ao mesmo período do exercício anterior, para R$ 22,4 bilhões, enquanto que as vendas físicas aumentaram 6%, somando 7,7 milhões de toneladas. De janeiro a junho, o EBITDA foi de R$ 3,2 bilhões, demonstrando 64% de acréscimo, e o lucro líquido ajustado atingiu R$ 1,2 bilhão contra R$ 113 milhões no primeiro semestre de 2017.

Em relação ao desempenho de vendas no segundo trimestre de 2018, praticamente todas as operações apresentaram crescimento. No Brasil, apesar do relevante impacto da greve dos caminhoneiros, as vendas para o mercado interno (não incluem as unidades produtoras de aços especiais) evoluíram 13% em relação ao segundo trimestre de 2017, atingindo 982 mil toneladas. As exportações a partir do País, porém, apresentaram redução de 25% e somaram 382 mil toneladas, principalmente em função da parada programada de manutenção do alto-forno 2 da usina de Ouro Branco (MG), o qual já retomou sua operação.

Nos Estados Unidos e no Canadá (não incluem as unidades produtoras de aços especiais), foi vendido 1,7 milhão de toneladas, 7% a mais em relação ao segundo trimestre do ano anterior, influenciado pela melhoria do mercado e pelos efeitos positivos da reforma tributária e da seção 232 para as empresas com produção local de aço. Já as unidades nos demais países da América Latina (exceto Brasil) contabilizaram 386 mil toneladas comercializadas, volume 12% inferior frente ao segundo trimestre de 2017, principalmente pela desconsolidação da operação da Colômbia, realizada a partir de junho de 2017. Já as vendas realizadas pela Operação de Negócio de Aços Especiais (incluem usinas no Brasil, nos Estados Unidos e na Índia) somaram 569 mil toneladas, um acréscimo de 11% frente ao segundo trimestre de 2017 influenciado pelo aumento da demanda no Brasil e Estados Unidos.

Investimentos alcançam R$ 299 milhões no segundo trimestre

Ao longo do segundo trimestre, a Gerdau investiu R$ 299 milhões em ativo imobilizado (CAPEX), sendo 49% no Brasil, 36% na América do Norte, 4% nos demais países da América Latina e 11% na Operação de Aços Especiais. Considerando os primeiros seis meses do ano, foram destinados R$ 516 milhões em investimentos para as operações da Gerdau globalmente, majoritariamente dedicados à manutenção das unidades.

 

Deixe seu comentário

Assine a newsletter

e fique por dentro de tudo sobre Metalurgia, Materiais e Mineração.