ABM - Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração

Estamos em home office. O suporte pelo tel (11) 5534-4333 estará indisponível nesse período.

Faturamento do setor mineral cresce 98% no 1º semestre de 2021

De acordo com dados do Ibram, o faturamento da indústria de mineração brasileira passou de 75,3 bilhões para R$ 149 bilhões.

O faturamento do setor mineral cresceu cerca de 98% no 1º semestre de 2021 em comparação com o 1º semestre de 2020, segundo dados do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram). 

De acordo com o instituto, o desempenho apresentado pela indústria mineral nos primeiros seis meses deste ano retrata a evolução crescente de preços e demandas internacionais, desde a retomada da economia da China, decorrente do controle da pandemia naquele país. As exportações do setor cresceram 91% no período.

Outra contribuição importante para os números positivos do primeiro semestre foi alta do dólar. A moeda norte-americana subiu de R$ 4,92 no 1º semestre de 2020 para R$ 5,38 no 1º semestre deste ano. 

Já a média de preços do minério de ferro – item mais exportado pelo setor mineral – mais que dobrou: variou de US$ 91,04 a tonelada para US$ 183,43 a tonelada. O minério de ferro teve cotação média, no 1º semestre de 2021, 101,5% maior do que no 1º semestre de 2020. Somado ao preço, temos também a elevação da produção mineral, causando uma elevação de 135% de aumento no faturamento deste minério.

Destaque também para o aumento substancial de outras commodities minerais, como cobre (65,8%), alumínio (41%), estanho (76,7%) e níquel (41,05%).

Além disso, é preciso considerar que o ouro teve um salto nos preços no início da pandemia. De lá até aqui, os preços permaneceram elevados e relativamente estáveis. A variação entre os preços do 1º semestre de 2020 e do 1º semestre de 2021 foi de 9,7%. No caso do ouro, o aumento de 46% no faturamento é muito maior do que o aumento observado no preço da commodity, indicando um aumento considerável na produção.

Em volume, a produção mineral brasileira (PMB), segundo estima o Ibram, evoluiu 2% na comparação entre os semestres, passando de 525 milhões de toneladas para 535 milhões de toneladas. Em valor, a produção saltou de R$ 75,3 bilhões para R$ 149 bilhões (98% a mais). 

O aumento estimado na produção é atribuído ao setor como um todo. Valores de produção estimados pelo Ibram têm base na produção histórica dos seguintes bens minerais: agregados construção, minério de ferro, bauxita, fosfato, manganês, alumínio primário, potássio concentrado, cobre contido, zinco concentrado, liga de ,nióbio, , níquel contido e ouro.

Perspectivas
 
A perspectiva para a indústria da mineração nos próximos anos é positiva, avalia o instituto. Cada vez mais estados abrem espaço para a expansão da mineração industrial sustentável e, com isso, atraem investimentos milionários de longo prazo, caso de Bahia, Goiás, Mato Grosso, Pará e Minas Gerais, entre outros.

Além disso, o próprio setor mineral tem avançado na implantação de novas estratégias relacionadas a boas práticas de ESG (respeito ao meio ambiente, responsabilidade social e governança), o que impacta positivamente na recuperação da confiança da sociedade, após as tragédias com barragens anos atrás. 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa do Ibram 

Deixe seu comentário

Assine a newsletter

e fique por dentro de tudo sobre Metalurgia, Materiais e Mineração.