pt

  • pt

  • en

  • es

ABM News

União de esforços para um país melhor

01/07/2005

Com um saldo extremamente positivo, onde todos os participantes puderam enriquecer seus conhecimentos e renovar a disposição para a construção de um país mais justo e igualitário, terminou nesta quarta-feira, 29, o Fórum ABM de Responsabilidade Social.

 

Nos dois dias de trabalho, o encontro reuniu 115 participantes de dez estados brasileiros, representando 42 empresas e instituições. "A troca de experiências entre as empresas do setor minero-metalúrgico e as contribuições trazidas pelos palestrantes convidados foi muito rica", avaliou satisfeito o coordenador geral do evento, José Augusto dos Santos Servino, gerente da Divisão de Desenvolvimento e Remuneração da CST e diretor da divisão de RH da ABM. 

 

Uma certeza ficou clara para todos: o desafio de solucionar os problemas sociais do País não é só do governo. Requer uma ação conjunta de toda a sociedade. "As empresas têm um papel fundamental nesse processo, pois possuem as condições financeiras e intelectuais para implantar ou apoiar projetos de sustentabilidade nos campos econômico, social ou ambiental", salientou João Paulo Altenfelder, que participou da mesa-redonda sobre Balanço Social nas Organizações.

 

Conforme afirmou, o objetivo de um Balanço social ou Relatório de Sustentabilidade - termo mais atual e abrangente - não é meramente produzir uma publicação, mas propiciar ampla discussão da estratégia de gestão dos negócios. "A comunicação ao mercado será apenas um reflexo desse posicionamento e ele só se sustenta se trouxer benefícios para todos os públicos", completou o professor dos cursos de MBA sobre Empreendedorismo Social.

 

Em síntese, um RS dever ser produzido anualmente pela empresa após um processo onde procurou entender a gestão do empreendimento, os impactos presentes e futuros e avaliou-os frente a critérios ambientais e socioeconômicos.

 

"A prática desse processo cria mecanismos de prevenção para possíveis passivos legais, além de melhorar a reputação da empresa no mercado, entre outros benefícios", comentou o analista de investimento do ABM AMRO Asset Mangement, Bruno Erbiste, lembrando que responsabilidade social gera valor para o negócio e riqueza para todos.

 

"É um fator fundamental nas decisões de investimento e fator-chave para a sobrevivência da empresa", reafirmou, explicando que o investidor analisa a empresa do ponto de visa ambiental, social e de governança corportativa.

 

Envolvimento de todos - Outra conclusão dos debates é que cuidar de problemas sociais da comunidade não é uma questão de filantropia e iniciativa de alguns poucos voluntários na empresa. A responsabilidade social deve fazer parte da gestão estratégica empresarial e envolver todas as áreas da organização.

 

"Só conseguiremos avançar efetivamente quando todos os colaboradores entenderem esse processo", reforça Wellerson Júlio Ribeiro, gerente da Aciaria da Belgo Mineira e coordenador do Grupo de Voluntários da fábrica de Monlevade. Em sua opinião, o pessoal da produção precisa urgentemente ser envolvido com a questão e uma das formas é participar desse tipo de encontro.

 

Neste primeiro fórum, a participação dos profissionais da área operacional foi de apenas 8%, contra 75% das áreas de responsabilidade social, recursos humanos, comunicação e administração.

 

Acostumado com as metodologias da produção, o Grupo de Voluntários da Belgo de Monlevade utiliza em seu trabalho os critérios do sistema de controle da qualidade PDCA. Todo projeto tem identificação, levantamento dos problemas, metas e plano de ação e avaliação. "Anualmente fazemos um balanço dos trabalhos sociais para estabelecer as próximas ações", explica ele, dizendo que o evento da ABM serviu para "dar uma sacudida" com novas idéias e sugestões. 

 

Necessidades especiais - As apresentações serviram também para mostrar que a contratação de pessoas portadoras de necessidades especiais não deve ser encarada como caridade, nem apenas para cumprir a cota preconizada por lei e sim por uma questão de consciência e cidadania.

 

"Todo ser humano tem limitações e as dos deficientes não são maiores nem menores do que a dos demais. Além disso, têm a potência de superá-las como qualquer outro ser humano. Basta eliminar o preconceito e dar-lhes oportunidades", disse Elizabeth Fernandes, coordenadora do Programa Catavento, que é patrocinado pela CST.

 

Presente ao evento, Ricardo Tadeu Marques da Fonseca, procurador regional do Ministério Público, professor de Direito do Trabalho e deficiente visual, enfatizou que o trabalho é a manifestação máxima da dignidade humana e que todos têm direito a ele, conforme a própria Constituição.

 

"Ao contratar um portador de deficiência, a empresa não está fazendo caridade porque eles dão retorno efetivo", disse o procurador, citando que um dos maiores fotógrafos do mundo é cego e que Beethoven compôs a 5ª Sinfonia e era surdo. Aleijadinho é considerado o maior escultor barroco do mundo".

 

Compartilhando da mesma opinião, a psicóloga Úrsula Barbosa, da Karman-Ghia do Brasil, que emprega deficientes em todas as áreas da empresa, inclusive na produção, reafirmou que os resultados são os melhores possíveis: "São colaboradores que se destacam em produtividade, assiduidade (o nível de absenteísmo é zero) e comprometimento com a organização".

 

"Muito aprendemos nestes dois dias de encontro, mas temos ainda que lapidar nosso diamante ético um pouco mais para continuarmos colaborando efetivamente na construção de um país melhor e mais justo", disse o diretor-executivo da ABM, Horacídio Leal Barbosa Filho, no encerramento do evento.

 

Para Servino, é certo que todas as empresas vão continuar avançando em seus projetos de responsabilidade social e sustentabilidade, porém com uma nova visão, principalmente em relação aos portadores de necessidades especiais. "Como na engenharia, o mais importante foi quebrar a inércia, agora é só ajustar a direção", afirmou ele.

 

Devido à intensa participação de todos, uma próxima edição Fórum ABM de Responsabilidade Social já começou a ser preparada. Até 2006!
 
Para mais informações sobre o evento clique aqui

publicidade