Lingotamento Contínuo de Blocos e Tarugos
Sede ABM - SP
28 de março a 1 de abril de 2011
DATA
28 de março a 01 de abril de 2011

HORÁRIO
08h às 17h
- no dia 28.03 o curso terá início às 13:00 horas

LOCAL
Sede da ABM
Rua Antonio Comparato, 218 – Campo Belo
São Paulo - SP

REALIZAÇÃO
Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração - ABM

ORGANIZAÇÃO
Educação Continuada – ABM

COORDENAÇÃO/DOCÊNCIA
Engº Lauro José de Sales Chevrand
Engenheiro Metalurgista
Consultor, membro da ABM.

DOCÊNCIA 

Engº Guilherme Otávio Nogueira dos Reis 
Engenheiro Metalúrgico
Gerente de Aciaria - Votorantim Siderurgia - Barra Mansa, membro da ABM.

Engº Cláudio Valadares
Msc. Engenheiro Metalurgista
Diretor Técnico – Carboox, membro da ABM.

Engº Santiago Ruiz Barrios
Msc. Engenheiro Metalurgista 
Carboox, membro da ABM

Vinicius Karlinski de Barcellos
Mestre e Engenheiro Metalúrgico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
(2007). Atualmente é doutorando no Laboratório de fundição da UFRGS,
com doutorado sanduíche realizado na Helsinki University of Technology, Finlândia.
Tem experiência na área de Engenharia em Metalúrgica, com ênfase em
processo de fabricação, atuando principalmente nos seguintes temas: solidificação, lingotamento
contínuo, simulação numérica e fundição, membro da ABM.


Prof. Leonardo Barbosa Trindade
Formado em Física, Mestre em Eng. Mecânica e Doutor em Eng. Metalúrgica.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), membro da ABM.

CARGA HORÁRIA
36 horas

OBJETIVO
O curso de Lingotamento Contínuo de Blocos e Tarugos, reflete os últimos avanços neste campo, onde os temas mais atuais estão em pauta. O conhecimento das modernas tendências é um fator fundamental na otimização do processo de Lingotamento Continuo.

PÚBLICO ALVO
O curso se destina fundamentalmente a todos os envolvidos com o processo de Lingotamento Contínuo, bem como fornecedores e usuários dos produtos deste processo.


PROGRAMA

História do Lingotamento Contínuo
• Definição do Processo LC
• Tipos de Processos LC
• Marcos no Desenvolvimento do LC
• Desenvolvimentos Específicos
• Lingotamento Contínuo vs Convencional
• Rendimento do Lingotamento Contínuo vs Lingotamento Convencional
• Número de Etapas de Processo (Aço Líquido ao Produto Final)
• Crescimento do Lingotamento Contínuo
• O Lingotamento Contínuo e as Mini Mills
• Situação Atual do Processo de Lingotamento Contínuo

Lingotamento Contínuo no Brasil

Engenharia da Máquina de Lingotamento
• Lay-out
• Desenho da Máquina
• Suporte das Panelas
• Distribuidor
• Proteção de Jato Panela / Molde
• Molde e a Oscilação
• Desenho, Material e Resfriamento do Molde
• Oscilação do Molde
• Suporte do veio
• Resfriamento Secundário
• Agitação Eletromagnética
• Barra Falsa
• Unidade de Extração e Desempeno
• Unidades de Corte
• Ala de Saída dos Tarugos
• Automação

Operação do Lingotamento Contínuo
• Técnicas para Aumentar a Produtividade
• Técnicas para uma Operação Consistente
• Baixa Temperatura de Lingotamento
• Controle de Perfuração

Preparação do Aço para o LC
• Fornos Primários
• Refino Secundário
• Forno Panela
• Desgaseificadores
• Influência dos processos de Refino Secundário
• Tipo de Aço a ser produzido
• Controle de oxigênio
• “Clogging”
• Tipos de “Clogging” de acordo com a desoxidação aplicada
• Máquina de Lingotamento Contínuo
• O papel da escória sintética nos processos de fabricação do aço
• Comportamento físico químico da escória
• Utilização da escória nos processos de refino
• Escória da panela

Solidificação no Lingotamento Contínuo
• Molde ou Resfriamento Primário
• Mecanismos de Formação de Marcas Superficiais
• Transferência de Calor na Região do Molde
• Transferência Newtoniana
• O Resfriamento Secundário ou Região de Chuveiros
• Chuveiros
• Transferência de Calor na Região dos Chuveiros
• Região de Radiação Livre ou Resfriamento Terciário
• Transferência de Calor na Região de Radiação Livre

Oscilação do Molde - Lubrificação
• Contração da Pele em Início de Solidificação
• Tipos de Oscilação
• Marcas de Oscilação
• Espaçamento entre Marcas de Oscilação
• Conceituando Estripamento Negativo
• Mecanismos de Formação das Marcas de Oscilação
• Lubrificação no Molde
• Uso de Óleo
• Uso de Fluxantes
Qualidade Interna dos Tarugos
• Estrutura Bruta de Solidificação
• Efeito da composição do aço na solidificação e formação de defeitos
• Estrutura Dendrítica
• Modelos de Crescimento Dendrítico
• Segregação e Teoria do Minilingote
• Macrosegregação
• Defeitos Internos

Agitação Eletromagnética no LC
• História
• Blocos e Tarugos
• Princípios Eletromagnéticos
• Mecânica dos Fluídos
• Princípios Metalúrgicos
• Transição da Estrutura de Solidificação Colunar para Equiaxial
• Qualidade Superficial e Subsuperficial
• Bandas Brancas
• Segregação Central
• Aplicações Industriais
• Diferentes Tipos para Blocos e Tarugos
• Resultados Típicos de M EMS e M+F EMS em Blocos e Tarugos
• Efeitos Negativos em Blocos e Tarugos

Refratários Utilizados no LC

• Areia de Vedação para abertura instantânea
• Cuidados e procedimentos para aplicação das areias de vedação
• Funções básicas das areias de vedação
• Características básicas das areias de vedação
• Aplicação da areia de vedação
• Válvula Gaveta da Panela
• Proteção Panela x Distribuidor
• Tubo Longo
• Refratários do Distribuidor
• Tipos de Revestimento
• Processo de Confecção do revestimento permanente
• Massa básica aplicada a úmido por spray
• Massa seca aplicada com auxílio de forma
• Cuidados na aplicação de massas básicas para revestimento de trabalho
• Secagem e pré aquecimento
• Controle de Fluxo de Aço Distribuidor x Molde
• Tampão
• Válvula Gaveta do Distribuidor
• Váluvas Calibradas (meetering nozzles)
• Sistema Trocador de válvula calibrada
• Proteção Distribuidor/Molde
• Funções e desenhos de tubos e válvulas submersas
• Válvula submersa para reduzir obstrução por alumina
• Refratários sem carbono

Pós Fluxantes para Lingotamento Contínuo do Aço
• Histórico
• Pós de Cobertura para Distribuidor
• Pós Fluxantes
• Desgaste da Válvula Submersa

Moldes no Lingotamento Contínuo
• Evolução Histórica da Tecnologia de Moldes Tubulares
• Demanda para Moldes de Lingotamento Contínuo
• Materiais para Revestimento do Molde
• Ligas de Cobre mais Utilizadas
• Recobrimentos Superficiais
• Dimensionamento dos Moldes
• Efeito da Composição Química do aço na Transferência de Calor e Crescimento da Casca Solidificada
• Conicidade do Molde
• Raio de Canto
• Espessura da Parede
• Otimização dos Parâmetros de Lingotamento
• Manutenção

Modelamento Físico no Lingotamento Contínuo
• Introdução
• Critérios de Similaridade
• Fluidos Simuladores e Técnicas Experimentais
• Estudos em Modelos Físicos
• Modelamento Físico da Panela
• Modelamento Físico do Distribuidor
• Modelamento Físico do Molde

Modelamento Matemático no Lingotamento Contínuo
• Introdução
• O Papel dos Modelos Matemáticos
• Como são Construídos os Modelos Matemáticos?
• As Bases do Modelamento Matemático
• As Ferramentas Computacionais
• Os Softwares
• Exemplos de Modelamento Matemático no Lingotamento Contínuo

Simulação de Lingotamento Contínuo
• Introdução
• Solidificação: Temperatura & Crescimento da casca
• Influência do Fluxo de Metal
• Distribuição Química - Macrosegregação
• Estrutura de grão - Formação da Microestrutura
• Transformação no Estado Sólido
• Investindo em Simulação do Lingotamento
• Conclusões

Defeitos em Tarugos
• Defeitos de Forma
• Romboidade
• Depressão
• Defeitos Superficiais
• Porosidade Superficial (“Pin-holes”)
• Pele Dupla
• Incrustação de Escória
• Gotas Frias
• Trincas Transversais
• Defeitos Internos
• Porosidade Interna (“Blowholes”)
• Macroinclusões
• Trincas Off-corner
• Trincas Intermediárias
• Segregação e Porosidade Central

Desenvolvimento de Aços no LC
• Aços Baixo Carbono para Trefilação Fina de Fio-Máquina - (“Rimmed Substitutes”)
• Aços de Usinagem Melhorada (“Free Cutting”)
• Aços para Estampagem a Frio (“Cold Heading”)
• Arame para Pneu (“Tyre Cord”)
• Aços Inoxidáveis
• Aços para Rolamentos
• Aços SBQ (“Special Billet Quality”)

Lingotamento Contínuo em Altas Velocidades
• Introdução
• Principais Fabricantes de Máquinas para Altas Velocidades de Lingotamento
• Tecnologias
• Características dos Equipamentos
• Plantas com Tecnologia de Alta Velocidade 

TAXA DE INSCRIÇÃO
Empresa Associada (R$)
Empresa Não Associada (R$)
Associado ABM
(pessoa física)
       2.480,00          2.790,00
Não Associado ABM
       3.570,00          3.890,00
Sócio Júnior*
                     830,00 

* Vagas limitadas a dois alunos no curso


INCLUÍDO NA TAXA DE INSCRIÇÃO
Material didático
Coffee-break
Certificado de Participação
Estacionamento

CANCELAMENTO
Não haverá cancelamento de inscrição, podendo, no entanto, ser feita substituição por outra pessoa, desde que formalmente comunicado com 72 horas do início do curso.
 
Nome:
E-mail:
Área de interesse :
Telefone:
( )  
 
Gerência de Produção e Negócios
Tel.: (11) 5534-4333 ramal 117, 135 ou 145
e-mail: cursos@abmbrasil.com.br
 
R. Antonio Comparato, 218 | Campo Belo | São Paulo - SP | CEP 04605-030 Fone: (11) 5534-4333 | Fax: (11) 5534-4330 | abm@abmbrasil.com.br